sábado, 4 de janeiro de 2014

O milagre de Maria

La Niña con la Paloma ( A Menina com a Pomba)
Óleo sobre Lienzo. Paris, 1901
Pablo Picasso
*Por: Cleber Benvindo




O milagre de Maria

  A mãe chega do trabalho e vai depressa cuidar da cozinha, enquanto isso a menina observa a jovem mulher, que coloca todos os ingredientes para fazer o bolo. Maria por volta de seus seis anos tem gestos delicados, mas parece muito séria. A menina tinha curiosidade e perguntava sobre tudo, mas naquele momento, parecia apenas observar.
Após alguns minutos a mãe coloca o bolo no forno. A garota que estava quieta não se aguenta em si e se põe a questionar.
- Mãe, ontem antes de deitar você havia dito que milagres eram coisas que aconteciam e ainda não tinham explicação.
- Sim filha, eu disse isso.
- Hoje eu procurei um milagre – diz com um sorriso angelical.
- E achou? – pergunta a Mãe, com a testa franzina, enquanto lavava umas folhas de alface.
- Enquanto dormia em seu quarto, percebi que acordou minutos antes do relógio despertar...
- Isso é normal filha, é o hábito.
- Lembra os galhos da árvore lá de fora, que o papai cortou naquele final de semana. Hoje eu parei para reparar e vi nasceram novas folhas e estão cada vez maiores e foi tão depressa. E eu não consegui entender, então só pode se tratar de um milagre...
Então a Mãe larga o que estava fazendo e senta do lado da menina que sentada na mesa, tinha as pequenas mãos que apoiavam a cabeça e diz:
- É um processo comum, minha filha, isso não é um milagre.
- Mas, mãe, tá vendo o bolo, ele cresce sozinho?!
- O bolo cresce porque reage a um processo químico... Coisa de cientista.
A menina já confusa olha pra Mãe e pergunta.
- O que são os cientistas?
- Os cientistas são pessoas como eu e você, mas que estudam muitos anos, pesquisam e criam. Eles são muito inteligentes e sabem explicar a maioria das coisas.
- Mãe, quem deu a inteligência aos cientistas?
A Mãe também se pôs a perguntar sozinha, refletiu um pouco, esquecendo de que tivera um dia tão agitado e não havia reparado em coisas tão simples. Depois de alguns minutos de silêncio, ela com um olhar contemplativo para a filha e dá um abraço e um beijo cheios de carinho, abrindo um sorriso que há tempos escondia em si. Embora não tenha recebido uma resposta, ambas entendiam que aquele momento era tão mágico que parecia um milagre, embora algum cientista ainda o tente explicar.  

*A crônica O Milagre de Maria foi vencedora do XV Concurso Literário de Presidente Prudente em 2013. De minha autoria o texto reflete sobre a correria de nosso tempo e a espirituosidade. 

O texto foi publicado primeiramente no Jornal Quebra-Cabeça, um Jornal Laboratório da Faculdade de Comunicação de Presidente Prudente criado por alunos do sexto termo de jornalismo, e tinha como objetivo levar informação e conhecimento ao público infantil.

A crônica chegou a ser postada neste blog, mas foi retirada para a reformulação. Quem ainda não leu pode aproveitar a oportunidade de ver a republicação de alguns dos meus textos. 


Quem quer passar no vestibular de importantes faculdades tem que se preparar para estar à frente dos que só vão pensar nisso quando voltar ...